Explicações desnecessárias

 

Tem algo no teu sexo que não sei mais explicar.

É pau. É buceta. São dedos, unhas.

Porque é gozo, mas depois é gozo também.

É rijo, é doce, é quente, é úmido, são suores.

Fica, resiste, marca. Cheiro, gosto, marca.

Não é só entrar e sair. É ficar. Mas é antes, todo teu trilho.

Arranha, sanha, esparrama.

E, é depois. Por isso, não sei mais…

Mas não quero entender.

Tem tua pele, arrepiada. Teu sexo, molhado. Teu convite.

Tato, por tudo. Pinta por pinta. Passeio, trilha, mata, montanha, aranha.

Tem algo no nosso sexo que já sei explicar… sem nada cobrar.

Anúncios

About this entry