Estes não mentem… jamais…

 

 

Ouriçados, desavergonhados, sublimes. Convite.

 

Teus seios são a parte que eu mais conheço, teço.

 

Brincar com eles. Voltas, círculos, espamos.

 

O ato de entumecer me enrijece, aquece, aponta.

 

Furtivos, denunciadores, começo de trilha. Teus, meus… nossos.

 

“Sabe o que eu queria?”

 

Sei, por eles. Que te denunciam. Mas que me ensinam…

 

Ouriçados, desavergonhados, sublimes. Convite, aceito

Anúncios

About this entry